Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Revitalização Portuária* - Um projeto requentado e polêmico!

Revitalização do Cais do Porto de Porto Alegre
Docklands (Londres) ou Kop van Zuid (Roterdam)?


Revitalização do Cais Mauá - Projeto anterior (Maio/1998)
(folder acima, ficou só no papel, na maquete)



Revitalização do Porto de Belém: Uma concepção realista

"... Por outro lado, a privatização exagerada pode ser um equívoco perigoso e levar a grandes fracassos, como na área das Docklands, que se espalha ao longo de 13km do Rio Tâmisa no centro financeiro de Londres. Após projetos pontuais de revitalização, como no caso do Saint Katherine´s Dock – complexo de hotel, apartamentos, escritórios e marina – junto à Tower Bridge, foi instituída em 1981, pelo governo conservador de Tatcher, a London Docklands Development Corporation, que tomou o controle da área e buscou condicionar o mercado através de pesados investimentos públicos para torná-la um centro mundial de operações financeiras globais. Empurrada pela reestruturação econômica mundial, numa operação neo-liberal absolutamente comercial e equivocada, a LDDC logo atraiu os investimentos privados através de uma enterprise zone – área sem controles urbanísticos onde valiam uma série de incentivos, renegou o planejamento ou qualquer tipo de princípio regulador, o que acabou gerando conflitos internos, uma enorme especulação imobiliária de tintura pós-moderna e péssimos resultados urbanísticos, além do esvaziamento de outras partes da cidade (Busquets, 1995; Ghirardo, 1995). O maior desastre foi na área conhecida por Cannary Wharf com seu plano comercial, grandioso, de alta densidade e totalmente desvinculado do resto de Londres, encomendado em 1985 aos escritórios de Skimore, Owings & Merrill e Pei, Cobb & Freed por um empreendedor norte-americano (figura 4). (3) Em 1993, após superestimar o mercado e ser engolida pela recessão, a Oympia & York, sua controladora e maior construtura de capital próprio no mundo, foi levada à falência amargando um débito estimado em US$ 20 bilhões, e a paisagem da área era desoladora com inúmeras torres comerciais vazias. Além disto, a experiência de Docklands acabou ensinando à LDDC e ao governo neo-liberal que investidores, empreendedores imobiliários e o público em geral querem o planejamento e as garantias de regras urbanísticas claras (Buchanan, 1989; Ghirardo, 1995) ..."

Vicente Del Rio (Ver texto integral no endereço abaixo)
http://www.vitruvius.com.br/arquitextos/arq000/esp091.asp

Puerto Madero (Buenos Aires) - Volumetria dos prédios adequada ao entorno urbano, respeitando aspectos culturais, históricos e sociais.

"... Mas em alguns casos o renascimento do downtown foi abortado por planos elitistas de renovação urbana. Polpudos incentivos e gordos investimentos, concentrados no tempo, avassaladores, resultaram em autênticos fiascos urbanísticos ao arrasarem o tecido urbano tradicional de bairros inteiros substituindo-o por uma sucessão de monótonos espigões envidraçados com uso de escritórios homogêneo, grandes parkings, shoppings, na lógica do automóvel e sem um transporte público decente. Na experiência européia há dois exemplos distintos de revitalização de docas que resultam em estudos de caso opostos: o Canary Warlf, de Londres, exemplo de uma imposição autoritária da então primeira-ministra Margareth Tatcher. A "Dama de Ferro" sem nenhuma consulta à comunidade, tendo dissolvido a prefeitura de Londres, impôs um modelo de usos segregados voltado prioritariamente para escritórios de multinacionais, que acabou tendo uma maturação econômica lentíssima e só se consolidou quase duas décadas mais tarde. Já o Kop van Zuid, em Roterdam, virou um exemplo de revitalização portuária criativa com participação constante do poder local e das comunidades vizinhas, consagrou o princípio da multiplicidade de usos e atraiu os melhores artistas e arquitetos disponíveis ..."

Alfredo Sirkis (Ver texto integral no endereço abaixo)

http://www2.sirkis.com.br/noticia.kmf?noticia=3763747&canal=257&total=18&indice=10


Projeto atual de Revitalização Portuária
Espigões nas docas e shopping center na Usina do Gasômetro

* Nota do Editor: Matéria postada em 28/12/2009, e republicada em 28/06/2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário