Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Bridge closed! Sem controle do tráfego aquaviário, nem defensas, as pontes são vulneráveis

Em 2001, durante uma viagem através do Canal de Welland, o navio Windoc colidiu com o vão móvel da Ponte 11 em Allanburg, Ontário (CA). O acidente produziu um grande incêndio a bordo, causando danos na estrutura da ponte elevadiça (vertical-lift bridge), e destruiu a casa de comando do navio e a chaminé da embarcação.


A embarcação pegou fogo, sendo que mais tarde foi declarada a sua perda total, mas não houve feridos, nem danos à carga (com valor estimado entre $6-$8 milhões), nem prejuízo relevante ao meio ambiente. O relatório de investigação da marinha canadense concluiu que "é provável que o desempenho do operador da ponte tenha sido comprometido durante o içamento do vão móvel para a passagem do Windoc".


No nosso caso, o funcionamento da Ponte do Rio Guaíba ficou prejudicado após o acidente de 2008, quando o N/M Germano Becker "raspou" a plataforma do vão móvel, que a partir daí começou a apresentar falhas durante as operações de içamento/rebaixamento, decorrentes do empenamento da estrutura. Isso resultou em maiores congestionamentos de veículos na BR-290 na área próxima à ponte, com enormes transtornos aos usuários.

Os vídeos mostram uma situação mais grave, em que houve colisão propriamente dita com a estrutura móvel horizontal de uma ponte canadense, conforme descrição acima. Mas esse tipo de acidente pode ser ainda mais grave, especialmente nos casos de colisão contra os pilares de sustentação de pontes que não possuem defensas, pois pode ocorrer colapso estrutural parcial da própria ponte. É o caso da Ponte do Guaíba que, por não ter defensas nos pilares do principal vão de navegação, está sujeita a grandes sinistros, acompanhados de grandes prejuízos às pessoas e ao meio ambiente.

Para minimizar as possibilidades de acidente com navios, é necessário estabelecer um sistema de controle efetivo sobre a operação do vão móvel, em especial quanto à altura de mastreação das embarcações e, como foi dito acima, providenciar de imediato a instalação de defensas nos pilares dos vãos de navegação - principal e secundários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário