Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Agergs discute solução para a travessia em Rio Grande

TRAVESSIA RG-SJN, 23-03-2011, 19h57min

Por Thaise Saeter
thaise@jornalagora.com.br

Hoje à tarde, 23, a Superintendência do Porto do Rio Grande (SUPRG) sediou uma reunião entre a Superintendência de Portos e Hidrovias (SPH), a Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do RS (Agergs) e a Capitania dos Portos para tratar da travessia entre os municípios do Rio Grande e São José do Norte.

A reunião foi marcada para discutir a viabilidade de uma segunda embarcação fazer o trajeto simultaneamente ao que hoje funciona no local, conforme determinação judicial da comarca de São José do Norte.
“A solução definitiva passa por um processo licitatório, que irá criar as condições e as normas para que o serviço possa ser devidamente regulado”, afirmou o conselheiro-presidente Edmundo Fernandes da Silva.
O capitão dos portos, capitão-de-mar-e-guerra Sergio Luiz Correa, apresentou um material informativo sobre a situação atual do transporte entre as cidades. Segundo ele, a solução imediata seria a colocação de duas balsas com a necessidade de coordenação entre as duas embarcações via rádio. Para isso, seria preciso realizar uma simulação para velocidade do comboio igual a quatro nós.
Essa simulação possibilitará a definição de horários de travessia e posteriormente irá estabelecer o número de travessias possíveis por dia, levando-se em conta a segurança de navegação. Além disso, é exposta a necessidade de que sejam tomadas algumas medidas de segurança na balsa, como a colocação de piso antiderrapante, pintura das faixas, entre outros.
A SPH informou que irá emitir uma portaria com novos horários e normatização do transporte. A superintendência afirmou também que, nos próximos dias, será feita uma batimetria (levantamento realizado nos canais para determinação da quantidade de materiais depositados em seu leito), no canal Miguel da Cunha, para a realização da dragagem necessária.
Leia a notícia completa no Jornal Agora

Padronização das balsas da Travessia RG/SJN: Portaria 13/CPRS

Canal Miguel da Cunha: Travessia Rio Grande - SJN
Trabalhos de Batimetria, Veículo, Bote e Equipamentos da SPH (2003/2008)*

Modelo numérico do Canal Miguel da Cunha (Batimetria)

Modelagem por Isóbatas (Batimetria)

Caminhoneta D-20 e Bote Hidrográfico DEP 

Bote Hidrográfico DEP, PC Portátil, DGPS e Ecobatímetro

Caminhoneta D-20


Bote Hidrográfico DEP na Lagoa dos Patos

* NOTA DO EDITOR

As figuras e fotos acima mostram os trabalhos e as excelentes condições de conservação dos equipamentos utilizados pela SPH nos serviços de batimetria até o final de 2008, quando o Governo Yeda Crusius conseguiu por fim introduzir a política nessa área técnica (cargo em comissão e desqualificação técnica), na gestão dos engenheiros Roberto Laurino e Gilberto Cunha, com o objetivo de desmontar um importante setor técnico, para inviabilizar medições próprias nos contratos de dragagem. Isso ocorreu há apenas dois anos. O bote hidrográfico foi adquirido em 2003, na gestão Germano Rigotto, quando também foi destinada a caminhoneta D-20 ao setor de levantamentos, para uso exclusivo. Depois de seis (6) anos de uso intenso, esses equipamentos estavam em excelentes condições de conservação, em razão de manutenção e conservação permanentes, como pode ser visto acima. Passados apenas dois (2) anos, de baixa atividade, qual é a situação dos trabalhos e dos equipamentos atualmente? Ovelha não é pra mato ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário