Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Estado planeja a ampliação da navegação interior *

* Jefferson Klein

A perspectiva de reativação e de construção de terminais portuários no Rio Grande do Sul anima os defensores da utilização das hidrovias. No entanto, para que o modal desenvolva-se, também é preciso resolver questões como a atração de cargas para os rios, dragagens e a falta de investimentos no setor. Entre os projetos que devem ser desenvolvidos no Estado estão a modernização do porto de Santa Vitória do Palmar e a construção de um novo terminal no município (na localidade conhecida como Arroito) e a revitalização do porto de Cachoeira do Sul. Além desses empreendimentos, a CMPC Celulose Riograndense, que adquiriu a operação da Aracruz no Estado, pretende reconstruir o terminal de Guaíba, para escoar celulose, e implementar outros dois em Rio Pardo e Cachoeira do Sul, para movimentar madeira.

Investimento no porto de Santa Vitória do Palmar é parte de projeto da hidrovia do Mercosul
(Foto: Antônio Neri/DEPCOM/SVP/DIVULGAÇÃO/JC)

Uma das iniciativas que deve contar ainda neste ano com um aporte de R$ 2,5 milhões, por parte do governo federal, é a melhoria do porto de Santa Vitória do Palmar. O prefeito do município, Eduardo Morrone (PT), informa que somente os dois terminais da cidade deverão absorver um investimento de cerca de R$ 30 milhões. Os complexos estão dentro do planejamento para concretizar a hidrovia do Mercosul, prevista no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que pretende viabilizar a movimentação de cargas, através da Lagoa Mirim, entre o Uruguai e o Brasil. Morrone recorda que a hidrovia do Mercosul deve receber um investimento de mais de R$ 200 milhões. O prefeito diz que no porto antigo de Santa Vitória do Palmar terá que ser instalado um novo cais, construídas vias de acesso terrestre, realizada uma dragagem e aprimorada a estrutura de prédios. A operação dos complexos está prevista para 2014. Entretanto, Morrone afirma que a meta é antecipar esse prazo. “Essa será nossa campanha política e o Uruguai também pressiona nesse sentido.” Um dos pontos que precisa ser tratado para o sucesso do projeto são os licenciamentos ambientais para as dragagens.

O prefeito revela que, em princípio, a administração dos portos ficaria a cargo do município. Porém, ele adianta que pretende discutir essa situação com os governos federal e estadual, pois a prefeitura não tem a condição adequada para tratar dessa atividade complexa. O desejo do prefeito é passar essa função para a União, Estado ou para iniciativa privada.

A hidrovia do Mercosul poderá movimentar produtos agrícolas uruguaios. Na região de Santa Vitória do Palmar, uma das principais atividades que será beneficiada é a orizicultura. Morrone acredita que os portos podem absorver mais da metade do deslocamento da produção. O município tem uma área de plantio de arroz de cerca de 60 mil hectares. O prefeito ressalta ainda que, como Santa Vitória do Palmar localiza-se no extremo Sul do País, distante das grandes cidades, a hidrovia permitirá uma alternativa de acesso a centros como Pelotas e Rio Grande, além do Uruguai.

Fonte: Jornal do Comércio, 17/03/2011.http://tinyurl.com/65deftq

Nenhum comentário:

Postar um comentário