Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Semana Acadêmica/UFRGS - Engenharia Civil, Programa de Educação Tutorial (PET), 23-27/Maio/2011


Na próxima semana, no período de 23/5 a 27/5, acontecerá mais uma semana acadêmica da UFRGS, evento que envolve a participação dos corpos docente e discente da universidade. O blog "Hidrovias Interiores - RS" participará mais uma vez dessas atividades acadêmicas, a convite do grupo PET do curso de Engenharia Civil, para proferir palestra sobre o projeto de revitalização do Cais Mauá (Porto de Porto Alegre).

SPH & Escola de Engenharia/UFRGS (NOV/2007)

Atualmente na UFRGS existem 9 Grupos PET, a saber: Biologia, Ciências Sociais, Computação, Educação Física, Engenharia Civil, Geografia, Letras, Odontologia e Psicologia. Nesses últimos anos tivemos a oportunidade de apresentar palestras sobre portos e hidrovias interiores - navegação interior, dragagem, sinalização náutica, cartografia, hidrografia, hidrologia e meio ambiente, para turmas de diversos cursos e faculdades da UFRGS, em especial aos alunos da Escola de Engenharia (Engenharia Civil, Engenharia Cartográfica), Geografia (Instituto de Geociências), Hidrologia (IPH) e Biologia Marinha e Costeira (Ceclimar).

alt
SPH & Universidade - 2003/2005
 (UFRGS, UNISINOS, RITTER DOS REIS e ENGENHARIA/CPOR)

A relação entre os engenheiros do antigo DEPRC (atual SPH) com as universidades sempre foi muito estreita e produtiva, baseada na meritocracia, fator que explica a presença desses profissionais na própria criação e estruturação das escolas de engenharia da UFRGS, do IPH (Instituto de Pesquisas Hidráulicas/UFRGS) e da PUCRS. Com o retorno dos políticos ao poder no final da década de 70, após quase um quarto de século de ditadura militar, período em que predominou a tecnocracia autoritária e alienada, verificou-se que a própria política tradicional perdeu a componente meritocrática que possuía nas décadas anteriores aos anos sessenta - naqueles tempos os partidos indicavam engenheiros qualificados para dirigir as organizações voltadas à infraestrutura - estradas, ferrovias, hidrovias, portos, energia, mineração e comunicações.

A retomada dessa relação do aparato executivo estatal com a academia é fundamental para a sustentabilidade do desenvolvimento econômico, político e social, democrático e igualitário, e passa necessariamente pela superação do clientelismo partidário (fisiologismo), com a restruturação dos partidos políticos, incluindo o resgate da velha escola de formação de quadros partidários consistentes, nos aspectos técnico, político e doutrinário.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário