Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Avisos aos Navegantes, 2.ª Quinzena/Maio/2011 - Hidrovias do RS estão em situação crítica!



Avisos-Rádio


Correções às Cartas Náuticas


Os avisos-rádio da tabela superior referem-se às discrepâncias (problemas) - bóias apagadas, desaparecidas e fora de posição, da sinalização náutica na Lagoa dos Patos, no Canal São Gonçalo, e no Rio Guaíba, e o detalhamento das mesmas pode ser examinado no folheto 1/11, no link Folheto 1/11.

Os problemas de assoreamento nos canais navegáveis - Setia, Coroa do Meio, Barra SG, Nascimento, Feitoria,  Junco, Belém, Leitão, Pedras Brancas e Cristal, são destacados na tabela inferior, nas correções às cartas náuticas, e também podem ser examinados com detalhe no folheto 1/11, no link Folheto 1/11.

Fonte: Marinha do Brasil, Avisos aos Navegantes.

2 comentários:

  1. A falta de dragagem e de manutenção dos sinais náuticos nas hidrovias do RS atingiu um ponto crítico. O parque naval está sucateado - dragas velhas e fora de operação, praticamente todas as lanchas rebocadoras, muito antigas, estão avariadas. Por razões desconhecidas, o atual contrato de dragagem, celebrado na administração anterior, não apresenta resultados; a Marinha não reconhece, por algum motivo, os resultados dessa dragagem, contratada há quase 2 anos, na administração anterior. O modelo organizacional está falido, ultrapassado, e a gestão desprofissionalizada (entregue a políticos desempregados e seus cabos eleitorais). O quadro é de desolação - falta de recursos humanos qualificados, de aporte de recursos financeiros, e situação crítica de materiais, máquinas e equipamentos. A única saída é federalizar as hidrovias gaúchas!

    ResponderExcluir
  2. Hermes, a partir do cenário descrito, se pode chegar a preocupante conclusão: enquanto não acontecer (novamente) acidente ambiental de graves proporções a situação das hidrovias ativas no RS permanecerá a mesma. Lembra-se do acidente ocorrido em RG no ano de 1998 com o navio de (in)convêniencia N/T Bahamas o qual despejou milhares de toneladas de ácido sulfúrico no estuário da Lagoa dos Patos? Resultado, os culpados foram condenados após 12 anos mais precisamente em janeiro de 2011. Porém, o pior disso tudo foram os milhares de pescadores que permaneceram incapazes de atuar por longos meses. Ok, a culpa é da legislação, que permite a estas embarcações aterragem em nossos portos. Saudações. João Luís Cunha.

    ResponderExcluir