Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

domingo, 19 de junho de 2011

Porto de Rio Grande: Navio Düden é vendido

Navio turco Düden, no cais do Porto Novo (Foto: Fábio Dutra)

O navio mercante turco Düden está vendido. Depois de duas tentativas de venda sem êxito, no terceiro leilão, realizado dia 7 deste mês, na cidade do Rio de Janeiro, pelo leiloeiro Murillo Chaves, contratado pela Empresa Gerencial de Projetos Navais (Emgepron), o Düden foi arrematado.

O comprador foi Jorge Luiz de Azevedo Branco Valentin, segundo informações do Comando do 5º Distrito Naval (5º DN). O valor do lance inicial era R$ 650.000 e a embarcação turca foi arrematada por R$ 1.700.000, conforme registro no site do leiloeiro.

A Emgepron foi contratada pelo Comando do 5º DN para fazer a venda do Düden. O capitão-de-fragata João Marcos de Lima Cabral, encarregado da Seção de Logística da Marinha em Rio Grande, informou que em 14 de junho o comprador assinou, na sede da Emgepron, o termo de transferência de posse e propriedade. "A partir dessa data, o navio passa a não pertencer mais à União e a custódia do bem não é mais responsabilidade da Marinha do Brasil", observou.

A embarcação turca está atracada no cais do Porto Novo do Rio Grande desde dezembro de 2009. O novo proprietário tem prazo até 14 de julho para a retirada do navio do porto rio-grandino. A embarcação está em frente ao canteiro de obras da Quip S.A, espaço que é destinado as plataformas de petróleo.

O Düden sofreu um incêndio em alto-mar em novembro de 2009, a 260 quilômetros do litoral, na altura de Tramandaí. No incidente, um tripulante morreu. Os outros 22 foram resgatados com vida pela Marinha, que também encarregou-se do salvamento do navio, uma vez que o armador não o providenciou.

Como o armador não se manifestou sobre o destino da embarcação, houve processo de perdimento do navio que em maio de 2010 passou a pertencer à União. O Comando do 5º DN informou, anteriormente, que os recursos da venda seriam utilizados para pagamento das dívidas do armador com a Marinha.

Por Carmem Ziebell
carmen@jornalagora.com.br

Fonte: Jornal Agora, Rio Grande. Leilão

Nenhum comentário:

Postar um comentário