Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

domingo, 9 de outubro de 2011

Travessia Rio Grande - SJN: Barco pesqueiro bate em lancha de passageiros em Rio Grande

Ao perceberem a aproximação, passageiros correram para outro lado do barco, e não se feriram.

Cerca de 60 passageiros estavam na lancha Mara no momento do acidente
Foto:Roberto Witter, Agência RBS

Roberto Witter, de Rio Grande | roberto.witter@gruporbs.com.br

Um barco pesqueiro bateu em uma lancha de passageiros que realizava a travessia entre São José do Norte e Rio Grande, no sul do Estado. O acidente ocorreu na manhã deste sábado, no canal Miguel da Cunha, na Lagoa dos Patos. 

A Lancha Mara havia saído da hidroviária de São José do Norte às 9h30min. Quando faltavam cerca de cinco minutos para concluir o trajeto, que leva cerca de 30 minutos, a embarcação de passageiros foi atingida na lateral esquerda pelo pesqueiro Rosa do Mar, de São José do Norte. 

A colisão entre as embarcações aconteceu próximo do Porto Velho de Rio Grande, em frente ao cais de atracação das balsas que transportam veículos entre os dois municípios.

Foto: Roberto Witter, Agência RBS

No momento do abalroamento, cerca de 60 passageiros estavam na lancha Mara, que tem capacidade para 113 pessoas, sendo 110 passageiros e três integrantes de tripulação — que realizam os serviços de pilotagem e atracação do barco.

— Os passageiros que estavam no lado atingido perceberam que o pesqueiro vinha na nossa direção. Tentamos desviar ao máximo. Como as pessoas viram que o barco ia nos atingir, correram para o outro lado da lancha. Por isso, ninguém se machucou. Cerca de três minutos antes esse mesmo barco já tinha quase batido em um rebocador — conta Ubirajara Costa, mestre da Lancha Mara.

No canal Miguel da Cunha, a velocidade máxima permitida para as embarcações é de 5 milhas*, cerca de 8 km/h. A embarcação Rosa do Mar foi apreendida pela Capitania dos Portos e está atracada em Rio Grande. Um inquérito será aberto para apurar as circunstâncias do acidente.

Fonte: ZERO HORA, Geral.

* Nota do Editor: A velocidade acima referida é, na verdade, de 5 nós (5 milhas por hora), sendo que cada milha náutica vale 1852 metros. Essa velocidade corresponde a 9,26 quilômetros hora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário