Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

As reais condições de navegabilidade do Rio dos Sinos em estiagem

Racionamento de água em NH

Medida visa evitar colapso no abastecimento. Na vizinha cidade de São Leopoldo, desperdício será punido com multa

Trecho leopoldense do Rio dos Sinos, sob a ponte 
da BR 116, mostra efeitos da escassez de chuvas 
Crédito: FELIPE DE OLIVEIRA/ESPECIAL/CP

Desde a madrugada de ontem, o abastecimento de água está sendo racionando pela Comusa - Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo, entre 22h e 4h, enquanto durar a escassez de chuva na região do Vale do Sinos. Os primeiros bairros a ficar sem água foram Rincão, Liberdade, Industrial, Ideal e parte do Santo Afonso e do Vila Rosa, todos do Setor 1, que abarca de 30 mil a 40 mil consumidores. A prefeitura poderá ainda editar decreto prevendo multa pelo desperdício, se não chover nos próximos dias.

A decisão de restringir temporariamente o abastecimento foi tomada após o consumo bater recorde no fim de semana. Os 60 milhões de litros produzidos diariamente não foram suficientes para atender à demanda e, desde segunda-feira, a cidade recebe 80 litros por segundo da Corsan de Campo Bom para abastecer o bairro Canudos. A medição do Rio dos Sinos apontou 2,13 metros nessa terça-feira, mesmo nível do dia anterior e o menor da história para esta época do ano no município.

A previsão para a madrugada de hoje era de que ficassem sem água os bairros do Setor 2: Vila Nova (parcial), Guarani (parcial), Kephas, Canudos (parcial), São José e São Jorge. Amanhã, serão Centro, Ouro Branco (parcial) e Canudos (parcial), do Setor 3. Na sexta, o corte é no Setor 4 - Primavera, Boa Saúde, Petrópolis, Roselândia e parte do Rincão e do Ideal - e, depois, no Setor 5: Jardim Mauá, Operário, Boa Vista, Hamburgo Velho, Rondônia e parte do Ouro Branco, Vila Nova e Guarani. O rodízio será retomado pelo Setor 1. "É a forma de evitar o colapso. As pessoas precisam diminuir o consumo", diz o prefeito Tarcísio Zimmermann.

Em São Leopoldo, a partir de hoje, quem for flagrado lavando o carro, a calçada, irrigando jardins ou reabastecendo piscinas será advertido e poderá receber multa. As condutas estão vedadas pelo decreto de uso racional da água assinado ontem pelo prefeito Ary Vanazzi e pelo diretor-geral do Serviço Municipal de Água e Esgotos (Semae), Luiz Antonio dos Santos. A multa pode variar de R$ 114,43 a R$ 572,15, na reincidência. Semae, Defesa Civil e Secretaria de Meio Ambiente farão a fiscalização. A medida é aplicada há três anos, no verão, e visa estimular a economia diante do baixo nível do Sinos. Ontem, o Semae registrou 1 metro. "Neste ano, o quadro é muito mais grave", diz Santos. Com o calor, o baixo nível do rio e a concentração de efluentes, o tempo de tratamento da água aumenta. Fatores que, aliados ao consumo, até 25% maior no verão, determinam a racionalização. A economia esperada é de 20% até 31 de março. O Semae não descarta cortes no abastecimento caso não chova hoje.

Fonte: Correio do Povo, 30/11/2011. Cidades

NOTA DO EDITOR

A foto acima fala por si própria, e mostra que a realidade derruba o discurso vazio do restabelecimento da navegação no Rio dos Sinos. Uma pergunta que se impõe - Quais são as causas desse notável rebaixamento do lençol freático que, em cada período de estiagem, provocam níveis d'água cada vez menores no Rio dos Sinos, inviabilizando até mesmo a captação de água para abastecimento?

Nenhum comentário:

Postar um comentário