Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

DETERMINAÇÃO DE CHUMBO NO SEDIMENTO DO CANAL SÃO GONÇALO – PELOTAS - RS.

BETEMPS, Glauco Rasmussen¹; FILHO, Pedro José Sanches¹; De Paula, Alessandra Santos¹; VICTORIA, Adriza¹.

¹Instituto Federal Sul-Riograndense – IF-SUL
Campus Pelotas – CEP 96010-900. glauco.betemps@gmail.com

1. INTRODUÇÃO

O Canal São Gonçalo faz a ligação entre a Lagoa Mirim e a Laguna dos Patos e seu percurso é no sentido SO-NE, com uma extensão de 62 km. Sua largura varia de 200m a 300m e sua profundidade média é de 6m, tendo como seu principal afluente o rio Piratini. Como elemento de ligação entre as duas lagoas, suas águas sofrem influência de ambas, sua corrente de fluxo pode variar de um sentido para o outro, dependo do desnível entre elas e da ação dos ventos.

A concentração de elementos-traço em águas superficiais é conseqüência de: i) geoquímica das rochas e solos de origem da bacia (metais liberados pelo intemperismo); ii) poluição antropogênica (derivada de resíduos ou deposição atmosférica); e iii) reações químicas (adsorção em partículas e outras superfícies e deposição nos sedimentos) (STUMM & MORGAN, 1996).

Pouco se conhece sobre a geoquímica dos sedimentos  da região de estudo, tornando-se imprescindível para as ações de gerenciamento ambiental das áreas costeiras a determinação dos teores de contaminantes traços como metais pesados nos sedimentos.

A contaminação dos solos por chumbo é irreversível, o que gera um processo de caráter acumulativo, mesmo quando pequenas quantidades são adicionadas ao meio (CUNHA et al. 1993).

Em termos de ecossistemas aquáticos, os metais pesados tomam parte em vários processos no metabolismo destes ecossistemas. O chumbo não tem função biológica definida, pois não participa dos processos fisiológicos dos organismos aquáticos, tornando-se potencialmente tóxico a uma  grande variedade de espécies.

Contudo, mesmo aqueles metais com função biológica definida, quando em grandes concentrações, podem apresentar alta toxicidade aos organismos vegetais e animais (ESTEVES, 1988).

O objetivo deste trabalho é a determinação preliminar dos teores de chumbo no sedimento do Canal São Gonçalo na região próxima a zona urbana da cidade de Pelotas.

2. MATERIAL E MÉTODOS

A amostragem percorreu cinco pontos do canal São Gonçalo entre a chegada do canal Santa Bárbara e a Laguna dos Patos no mês de agosto de 2008.

O sedimento superficial (0-5 cm profundidade) foi coletado utilizando uma draga de aço inoxidável do tipo Van Veen. Foi retirado o material da parte central da draga e armazenado em pote de polietileno, previamente descontaminado. Após a coleta, as amostras foram transportadas para o laboratório e armazenadas sob temperatura de refrigeração a (±4ºC).

As amostras de sedimentos foram secas em estufa a 60 ºC por 48 horas. Em seguida, foram peneiradas e a fração <0,75 mm foi utilizada para o tratamento químico de extração. Foram pesadas cerca de 2 g de cada sedimento em triplicata, adicionando-se 4 mL de água régia (3:1 HCl:HNO3) , 4 mL de água destilada e 1 mL de HClO4, aquecendo-se por 30 min a 90 °C em Banho-Maria, segundo uma modificação do procedimento de Hortellani¹. A solução resultante foi filtrada e transferida para balão volumétrico aferido de 50 mL, tendo o volume completado com água destilada. Foram preparados padrões a partir de um padrão de chumbo marca Titrisol® de 1000 mg nas concentrações de 0,2, 2, 6, 10, 14 e 20 mg/L de Pb e através da curva de calibração obteve-se a equação y= 0,0155x + 0,131 e R²= 0,99.

Após a extração, as amostras foram submetidas a análises químicas utilizando-se a técnica de Espectrofotometria de Absorção Atômica em um espectrofotômetro da marca GBC 932 Plus.

A vidraria utilizada no tratamento e armazenamento  das amostras foi descontaminada, em uma solução de HNO3 a 10% (v/v), por 24hs e em seguida secada a 105ºC em estufa.

3. RESULTADOS E DISCUSSÃO

A Tabela 1 apresenta os níveis Pb em mg/kg e seus desvios padrões relativos do sedimento do canal São Gonçalo.

Tabela 1: Níveis de Pb nos sedimentos do canal São Gonçalo, seus respectivos  
desvios padrões relativos, limites de detecção (LD) e quantificação (LQ).
*BGM background definido para sedimentos mundiais. 
*TEL threshold effect level. Valor abaixo do qual raramente ocorre efeitos biológicos. 
*PEL probable effect level. Valor acima do qual efeito adverso é esperado.

Através dos valores apresentados na tabela 1 podemos observar que foi encontrado o analito proposto em todos os pontos amostrados acima dos limites de detecção e quantificação. Os limites de detecção (LD) e quantificação (LQ) foram feitos a partir de dez leituras do branco da amostra no aparelho. Calculou-se o desvio padrão e multiplicou-se por 3 para o LD e por 10 para o LQ.

Os resultados preliminares demonstram que o sedimento do Canal São Gonçalo apresenta teores de chumbo elevados. Nos pontos 1 e 2 que representam a chegada do canal do São Gonçalo na Lagoa dos Patos, foi detectado menores quantidades deste contaminante. Os pontos 3, 4 e 5 apresentam concentrações elevadas de chumbo e estão situados no aporte do arroio Pelotas, do canal do Pepino e do canal Santa Bárbara ao canal São Gonçalo, respectivamente. Os canais cruzam a zona urbana da cidade de Pelotas, o que provavelmente, indica a presença de contaminação antrópica.

Os níveis de chumbo encontram-se acima do background definidos para os sedimentos mundiais por Bowen (1979).

Comparando estes resultados com os valores definidos pelo Guia de Qualidade para sedimentos para proteção da vida aquática do Canadá (CCME EPC- 98E 1999), podemos considerar que todos os valores estão acima do TEL, estando próximo do PEL mostrando que a região se encontra impactada.

4. CONCLUSÕES

Os resultados preliminares demonstram que os sedimentos dos pontos estudados apresentam teores elevados de chumbo, quando comparados com o background definidos para sedimentos mundiais por Bowen. De acordo com o Guia de Qualidade para sedimentos para proteção da vida aquática do Canadá os níveis de chumbo nos pontos amostrados ficaram bem  acima do TEL estando muito próximo do PEL. Nos pontos 4 e 5 encontramos maiores quantidades do metal sendo, portanto a chegada do canal do Pepino e do canal Santa Bárbara ao canal São Gonçalo, respectivamente, os principais locais de entrada deste contaminante no sistema lacustre.

De acordo com os valores apresentados existe a presença de contaminação antrópica e comprometimento do corpo d’água, uma vez que o chumbo não tem função biológica definida e possui efeito cumulativo. Ao final deste estudo os dados gerados fornecerão subsídios para monitoramento, conservação e proteção do ecossistema estudado.

5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BOWEN, H. J. M.  Environmental geochemistry of the elements. Academic Press, London, 1979. 333p.
CANADIAN SEDIMENT QUALITY GUIDELINES FOR THE PROTECTION OF AQUATIC LIFE, CCME EPC- 98E, 1999.
CUNHA, M. C. L., COSTA, A. F. U., EEROLA, T. T., FERLIN, C. A. Emprego da fitogeoquímica na detecção da pluma poluidora no deposito de lixo de Estância Velha, RS. PESQUISAS, 20. Instituto de Geociências UFRGS, 1993, N 1, p. 14-17
ESTEVES, F. A.  Fundamentos de Limnologia. Rio de Janeiro: Interciência: FINEP, 1988. 575p.
HORTELLANI, M. A., SARKIS, J. E. S., ABESSA, D. M.  S., Sousa, E. C. M. Avaliação da contaminação por elementos metálicos dos sedimentos do Estuário Santos – São Vicente. Química Nova. 2008, 31, N 1, 10.
STUMM, W. & MORGAN, J.J. Aquatic chemistry: chemical equilibria and rates in natural waters. 3
rd ed. New York, John Wiley & Sons Inc., 1996. 1022p.

Nota do Editor

A tabela III da Resolução 344/2004 - CONAMA estabele os seguintes valores para os níveis de classificação do material a ser dragado:

Água Doce: Nivel 1 (35 mg/kg); Nível 2 (91,3 mg/kg)
Água Salina-Salobra: Nível 1 (46,7 mg/kg); Nível 2 (218 mg/kg)

As águas do Canal São Gonçalo são salinas/salobras, o que explica a construção da barragem-eclusa, feita para evitar a salinização da Lagoa Mirim. Os números acima permitem concluir que a contaminação por chumbo do sedimento de fundo do Canal São Gonçalo, desde a barra/foz até o Arroio Santa Bárbara (junto à ponte ferroviária), é moderada, com concentrações situadas entre os níveis 1 e 2 (à exceção da amostra P2, cuja concentração está abaixo do nível 1).

Nenhum comentário:

Postar um comentário