Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Porto de Rio Grande - Audiência pública aborda ampliação da infraestrutura da Quip

Obra de extensão do cais 1 deve começar assim que a empresa obtiver a Licença de Instalação

Obras irão triplicar a capacidade atual do canteiro da Quip
Foto: Divulgação/Quip

Dentro do processo para licenciamento ambiental da ampliação da infraestrutura para integração de módulos de produção de plataformas de petróleo, da Quip S/A, a Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luís Roessler (Fepam) realizou nesta terça-feira audiência pública sobre o empreendimento, a partir das 19h, no Centro de Convívio dos Meninos do Mar (CCMar). A reunião faz parte das ações necessárias para a emissão da Licença Prévia (LP) do projeto. As obras de ampliação da infraestrutura consistem na extensão do cais 1, na ponta sul do Porto Novo, e implantação do cais 2, na lateral.
Conforme o diretor de suporte corporativo da Quip, Marcos Reis, a obra de ampliação do cais 1 irá se iniciar logo que for emitida a Licença de Instalação (LI, posterior a LP), uma vez que este empreendimento é prioritário para as obras de construção da P-63. Reis e o diretor-geral da Quip, Miguelangelo Thomé, explicam que quando essa obra estiver pronta, o casco da P-58 deixará o espaço do cais que ocupa hoje e irá para o novo e o lugar atualmente ocupado por ela será cedido para a P-63. A obra consistirá em mais 220 metros de cais, aterro da área a ele correspondente e dragagem de pequeno porte no canal à sua frente.
A implantação do cais 2, com as mesmas dimensões, e dragagem em sua área, terá início somente em 2013, pois ele será necessário para um projeto futuro. Na obra toda, abrangendo as duas estruturas, a Quip irá investir R$ 180 milhões. Na audiência pública, foi apresentado o Estudo de Impacto Ambiental (EIA/Rima) da ampliação da infraestrutura. O EIA refere-se mais à dragagem, considerando a necessidade de análise dos sedimentos a serem retirados dos dois pontos para verificar se poderiam ou não ser descartados no oceano. "Os estudos mostraram que pode". Marcos Reis salientou que o empreendimento é grande, mas simples em termos ambientais. E não causa nenhuma interferência nas comunidades residentes naquela região.
A extensão do cais 1 e a implantação do cais 2 irão triplicar a capacidade atual do canteiro da Quip, localizado na avenida Honório Bicalho, número 11. Hoje, o cais da empresa tem condições de receber uma plataforma de cada vez. Com a ampliação, terá espaço para três simultaneamente. Agregando essa ampliação aos galpões já construídos, às obras futuras que estão previstas - novas cabines, galpões industriais e área de armazenagem, até o final de 2013, a Quip estará com seu canteiro completo. "Será o maior canteiro de construção offshore do Brasil", disse Thomé. Na obra civil dos cais 1 e 2, serão gerados 800 empregos diretos.
O processo de licenciamento ambiental da ampliação da infraestrutura para integração de módulos de produção de plataformas de petróleo da Quip começou em outubro de 2010 junto ao Ibama. Em setembro deste ano, por meio de um Termo de Delegação de Competência assinado pelos Presidentes do Ibama e da Fepam, o processo passou a ser feito pela Fundação.
Por Carmem Ziebell
carmem@jornalagora.com.br

Fonte: Jornal Agora, Rio Grande. Infraestrutura

Nenhum comentário:

Postar um comentário