Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

2012: Vidência ou Ação?

por Frederico Bussinger *

“As bolas difíceis não sei: pego umas... outras entram... O que
procuro garantir é que as fáceis não entrem!” (Gilmar - grande 
goleiro da Copa/58: questionado como pegar bolas difíceis).

Europa resolverá sua crise? Obras da Copa e Olimpíadas resgatarão seus cronogramas? China reduzirá o ritmo de crescimento? Surpresas nos inúmeros países que terão eleições gerais? Nossos maus indicadores econômicos, do final de 2011, foram pontuais ou trata-se de uma tendência? A Bolsa; o Dólar, como terminarão o ano? Quantas medalhas o Brasil trará de Londres? Há palpites para todos os gostos!

Há muito de imponderável. Mas isso nos exime de definir uma agenda? Estabelecer metas? E, claro, nos comprometer e cumprir?

Para a logística brasileira, que avanços poderíamos ter em 2012? Algumas sugestões:

Concluir, o mais cedo possível, os instrumentos de planejamento nacional: PNLT, PNLP, PGO, estudo portuário do BNDES e plano hidroviário. E, mais importante, que eles fossem convergentes: O pior, seria haver diferenças de estratégia entre eles, ou, mesmo, de prioridades. Também, que os portos, ora revisando seus PDZs, nos ofertem textos menos dissertativos (cultura geral) e mais assertivos (não hipotéticos ou condicionais), articulados intermodalmente e com seus municípios, claros e legitimados junto à comunidade. Isso, para balizar e dar segurança, tanto aos planos e orçamentos públicos, como aos projetos e investimentos privados.

Lógico: Planos são para serem cumpridos. E orçamentos executados: Poderíamos almejar ultrapassar, pelo menos, a barreira dos 50% de execução?

Há temas empoeirados! A solução para os contratos de arrendamento firmados antes da “Lei dos Portos”; essencial para a estabilidade jurídica e destravar, aí, novos investimentos. E o insolúvel imbróglio do “Portus”? A “família portuária” aguarda e os executivos das Docas precisam se liberar para se dedicar a seus portos! A conclusão da revisão da Norma de Dragagem (CONAMA-344), esperançosamente com uma norma mais inteligente e eficaz; solução de compromisso entre o ambiental, o econômico e o social.

É sonho? Muito para 12 meses? Ao trabalho!

Ah! Sugestões para a agenda são bem vindas.


* Frederico Bussinger escreve semanalmente às quintas-feiras no Portogente. 
fbussinger@katalysis.com.br

Fonte: PortoGente, Logística.

NOTA DO EDITOR

Frederico Bussinger, Engenheiro, é ex-Presidente da Companhia Docas de São Sebastião e ex-Diretor do Departamento Hidroviário do Estado de São Paulo. Ocupou os cargos de secretário dos Transportes do Município de São Paulo e diretor-residente da São Paulo Transporte (SPTrans). Foi diretor de gestão portuária da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), presidente da Companhia de Trens Metropolitanos (CPTM), diretor de operações da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) e secretário executivo dos Ministérios dos Transportes. Presidiu, ainda, o Conselho de Administração da Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA) e também o Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea).

Nenhum comentário:

Postar um comentário