Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Novo estaleiro em Pelotas será oficializado no dia 31

Marcelo Beledeli

O grupo Oxcorp vai oficializar no dia 31 a instalação, em Pelotas, de seu estaleiro Oxnaval. O investimento, no valor de R$ 35 milhões, será montado em uma área de sete hectares junto ao canal São Gonçalo, pertencente ao engenho Coronel Pedro Osório. O local será usado para manutenção de embarcações, especialmente barcos pesqueiros.

O novo estaleiro terá dois cais de atracação, com capacidade de receber até 12 navios ao mesmo tempo. As embarcações atendidas serão de pequeno e médio porte, com no máximo 100 metros de comprimento e até 3,5 mil toneladas.

De acordo com a direção do Oxcorp, os trabalhos de montagem do estaleiro devem estar prontos até junho. As operações devem começar com a manutenção de navios pesqueiros coreanos, que atuam na região da Patagônia e das Malvinas. “Já firmamos documentos de parceria com empresas de pesca da Coreia do Sul durante a visita que o governador Tarso Genro fez àquele país em maio do ano passado”, explica Giuseppe Miraglia, diretor administrativo do grupo.

Engenho Coronel Pedro Osório - Canal do São Gonçalo/Pelotas
Foto: Infocenter Diário Popular - Chico Madri

No entanto, Miraglia destaca que outras empresas de navegação estrangeiras e nacionais já demonstraram interesse no uso do espaço. “Mais de duas mil embarcações pesqueiras atuam nessa região do Atlântico Sul e necessitam de um estaleiro para realizar a manutenção obrigatória, exigida pelas companhias de seguro”, explica.

Segundo o diretor, o empreendimento deverá atender um mercado que, no Brasil, é carente deste tipo de serviço. “Mesmo no Rio Grande do Sul os estaleiros estão voltados para a construção e manutenção de grandes embarcações e petroleiros. Nós vamos atender a um segmento onde a demanda por este tipo de serviço está muito alta.”

Uma das razões apontadas para o interesse dos barcos pesqueiros internacionais no empreendimento de Pelotas são os altos custos operacionais nos portos da região do Rio da Prata, onde tradicionalmente eram realizadas as manutenções. “O volume de embarcações pesqueiras que atuam no Atlântico Sul aumentou muito nos últimos anos, o que tem encarecido o uso de estaleiros no Uruguai e Argentina”, comenta Vitor Lopes, diretor de operações do grupo Oxcorp.

Localização do futuro estaleiro Oxcorp (Blog Hidrovias Interiores - RS)

Inicialmente, o empreendimento deve gerar cerca de 200 empregos diretos, podendo chegar a 1,2 mil durante o pico das operações. Para atender à demanda por trabalhadores especializados, a Agência de Desenvolvimento da Lagoa Mirim (ALM), que realizou os estudos de viabilidade do projeto, está criando parcerias com instituições de ensino da região. “Estamos organizando cursos de preparação de mão de obra, como soldadores e eletricistas”, explica Alexandre Barum, administrador técnico de projetos da ALM.

Barum lembra que a realização dos trabalhos de manutenção de barcos pesqueiros em Pelotas deverá alavancar outros setores econômicos da cidade. “Cada embarcação leva cerca de 45 tripulantes. Durante o período que são realizados os serviços, que dura em torno de 20 dias, essas pessoas precisarão de alimentação, hospedagem, transporte, ajudando a movimentar a economia regional.”

O novo estaleiro em Pelotas será o primeiro grande investimento do Oxcorp na área naval e também o primeiro no Rio Grande do Sul. Atualmente, o grupo empresarial atua principalmente na área de saúde, com ênfase em administração de benefícios e seguros.

Fonte: Jornal do Comércio, 24-01-2012. Economia

Um comentário:

  1. Olá meu amigo Hermes, está ficando famoso, heim?

    Estás até na Zero Hora, na matéria: "Um banho poluído no meio do Guaíba"

    Um abraço

    Geógrafo Mario Rangel

    ResponderExcluir