Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

sábado, 24 de março de 2012

Porto de Cachoeira do Sul - Reativação do terminal fluvial continua indefinido

Futuro do Porto do Jacuí será decidido quando Tarso vier à cidade, ainda este ano

 
Governador Tarso Genro prepara visita oficial ao município ainda este ano 

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, recebeu o Jornal do Povo no Palácio Piratini na tarde de segunda-feira para reafirmar seus compromissos com algumas das principais bandeiras de Cachoeira do Sul. Acompanhado de assessores na sala de banquetes residenciais do Piratini, decorada por grandes espelhos e objetos de prata, Tarso manteve a incógnita em relação ao projeto industrial mais importante para o município no último ano do governo Sergio Ghignatti, a questão que envolve a cedência da União para o Estado de uma área de 183 hectares no Porto do Rio Jacuí. A intenção da Prefeitura é colocar naquele local um novo distrito industrial.

O assunto só deverá ser finalmente esclarecido em uma vinda do governador à cidade, ainda sem data definida devido a entraves burocráticos. Ciente de que a questão é importante para o desenvolvimento industrial de Cachoeira - há duas dezenas de empresas que demonstraram interesse em se instalar na área, gerando cerca de 620 empregos -, o governador diz estar de mãos amarradas em relação a este tema, que ainda depende de uma portaria do Ministério do Planejamento. “Nós estamos negociando com Brasília essa questão. Já adiei duas vezes minha ida a Cachoeira porque estamos esperando a portaria sobre esse assunto. Quero chegar lá (em Cachoeira) com uma resposta”, destacou.

SUGESTÃO - Nem diante da insistência da reportagem Tarso afirmou se acatará ou não a sugestão feita pelo seu secretário de Infraestrutura, Beto Albuquerque, que propôs tentar a compra ou a doação definitiva daquela área (uma alternativa para desburocratizar a etapa de cedência do local para as empresas). “Sem sair essa portaria, estamos ainda bloqueados para tomar essa decisão”, justificou o governador. O representante do Executivo estadual não foge de seus compromissos com o município e até aproveitou para elogiar o último debate coordenado pelo seu governo na cidade, em julho do ano passado, quando este tema e uma série de reivindicações regionais foram apresentados ao Estado.

PARA SABER MAIS

O imbróglio da área do Porto

> Área de 183 hectares que fica ao redor do Porto.
> Ocorre que toda a área estava regrada como espaço portuário na última portaria que a cedeu para o Estado.
> Esse regramento causaria uma série de entraves burocráticos para que os lotes pudessem ser repassados às empresas em um segundo momento.
> A estratégia adotada pelo governo, coordenada pela pasta de Infraestrutura e Logística, foi de desmembrar 26 hectares, que passarão a ser área portuária.
> Assim, o espaço restante, 157 hectares, será usado para a instalação das indústrias nas imediações do Porto.

PARA ENTENDER MELHOR

Por que Cachoeira precisa de respostas urgentes sobre o Porto?

>> 21 empresas se apresentaram à Prefeitura para ocupar a área.
>> Juntas, elas gerariam cerca de 620 empregos diretos.
>> A área hoje ociosa seria transformada no mais novo distrito industrial de Cachoeira.
>> A instalação de novos nichos industriais seria capaz de causar um reflexo positivo na arrecadação de impostos do município, a exemplo do boom causado pela Granol no retorno de ICMS para a cidade.

O que o Estado pretende para esta área?

>> Conforme o secretário Beto Albuquerque, é preciso pensar na atração de empresas com destaque global, não somente indústrias regionais.
>> Outra proposta é viabilizar a área portuária, prospectando uma empresa com experiência nessa área, linkando esta proposta à concretização da hidrovia do Rio Jacuí.
>> O governador Tarso prefere não especular o que fazer sem que a União defina as mudanças burocráticas na definição da área.
>> A administração da área é outro debate que se avizinha, já que o secretário Beto acredita que o melhor seja que o Estado assuma esta responsabilidade, tendo em vista sua capacidade para ofertar incentivos e financiamentos às indústrias.

Fonte: Jornal do Povo, Cachoeira do Sul. Política

Nenhum comentário:

Postar um comentário