Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Coincidência? A proposta de ligação a seco RG/SJN aparece mais quando há "crise" na travessia hidroviária

Nos últimos dias, os problemas da travessia hidroviária entre Rio Grande e São José do Norte têm sido divulgados com muita ênfase nos meios de comunicação, e isso "coincide" com notícias que apontam para uma solução rodoviária - a travessia a seco entre os dois municípios, através de um túnel, uma obra bilionária para a qual não existe estudo de viabilidade econômica que justifique gastos dessa magnitude (tecnicamente, tudo é possível). Há poucos dias, o problema residia no transporte de veículos por balsa; agora, como mostra a matéria abaixo, a ênfase é com os problemas do transporte hidroviário de passageiros. Eu não tenho nenhuma dúvida - o interesse econômico está pressionando a opinião pública para obter um contrato bilionário que, para custear os interesses políticos subalternos, implicará em gastos adicionais ao erário público (superfaturamento).

***
Terceira lancha deve ser reintegrada ao serviço nesta quarta


Foto: Fabio Dutra, JA.

Os usuários do transporte hidroviário de passageiros entre Rio Grande e São José do Norte continuaram, nesta terça, 15, enfrentando longas filas nos dois municípios. Isso porque permaneceram apenas duas lanchas em operação na travessia. A Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan) diz que não conseguiu encontrar uma embarcação para alugar e colocar no serviço, como pretendia. Mas informou que no início da tarde desta quarta-feira a lancha Noiva do Caí deverá ser reintegrada ao serviço. Ela está sem operar desde o meio da manhã de segunda-feira, quando durante viagem, perdeu a hélice.

O coordenador de Sistema Hidroviário da Metroplan, Paulo Ricardo Osório, que está em Rio Grande acompanhando a situação, admite que apenas duas lanchas no serviço é pouco e que três também não é uma quantidade ideal. Segundo ele, uma quarta embarcação, com capacidade para 250 pessoas, adquirida pela Transnorte, empresa que atualmente responde pelo transporte hidroviário de passageiros, será colocada no serviço entre os dias 5 e 10 de junho. Essa lancha está recebendo adequações para esse serviço, uma vez que estava dimensionada para turismo. "Ficarão as quatro na travessia. Se uma delas tiver problemas, teremos condições de fazer o transporte com três", relatou.

Paulo Ricardo Osório também reconhece que os usuários estão sofrendo há muito com a precariedade do transporte hidroviário de passageiros nessa travessia. "Foi devido às reclamações dos usuários que foram retiradas as outras. Quando havia cinco, sempre tinha uma estragada. O que não esperávamos era que ocorressem problemas na Noiva do Caí", salientou. Ele pretende ficar em Rio Grande até a terceira embarcação entrar em operação. Sobre a reivindicada licitação para execução do serviço, lembrou que a que estava em andamento foi interrompida por ações judiciais e que a Metroplan e outros órgãos envolvidos estão buscando, junto ao Ministério Público, uma forma de extinguir este processo e fazer uma nova licitação.

Por Carmem Ziebell carmem@jornalagora.com.br

Fonte: Jornal Agora, Travessia RG/SJN.

***

A matéria a seguir, publicada na mesma data, informa que representantes do poder público estão apresentando, dentre outras propostas de "investimento", a alternativa da ligação a seco entre Rio Grande e São José do Norte que, é sabido, não possui fluxo de cargas e passageiros que torne a iniciativa autossustentável (concessão privada). A única alternativa de realização dessa proposta insana é a construção da obra por conta dos cofres públicos; além de onerar o orçamento público federal, isso acarretará prejuízos ao porto de Rio Grande ou à navegação interior (restrição de calado).

***

Proposta foi apresentada a investidores estrangeiros

Fator essencial para o desenvolvimento de São José do Norte e da região Sul, que há anos vem sendo pleiteado pelo Executivo Municipal, a ligação a seco entre São José do Norte e Rio Grande fez parte da missão do secretário estadual de Infraestrutura e Logística (Seinfra), Beto Albuquerque, na Europa.

Nesta semana, a comitiva esteve em Londres, apresentando a executivos estrangeiros as principais oportunidades de investimentos em cidades gaúchas, com projetos que totalizam mais de R$ 6,4 bilhões, dentre eles a construção do túnel ligando os dois municípios.

A infraestrutura necessária à instalação de empreendimentos que devem impulsionar a economia local já era pauta da agenda do prefeito Ferrari ao final de 2010, quando, juntamente com a direção do Estaleiro EBR, esteve em Brasília com o deputado federal Beto Albuquerque – hoje titular da Seinfra.

No ano passado, a secretária de Obras e Urbanismo, Marisa Maravalhas, foi designada para integrar o núcleo do Programa de Estruturação, Investimento e Pesquisa em Gás Natural, Petróleo e Indústria Naval do Rio Grande do Sul (PGPIN), que trata exclusivamente das demandas nortenses nas mais diferentes áreas. Participação esta fundamental para sanar os problemas de São José do Norte, afirma o prefeito Ferrari.

Por Assessoria

Fonte: Jornal Agora, Travessia a Seco.

Um comentário:

  1. Éeee, o bom mesmo é manter do jeito que está...

    ResponderExcluir