Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

João Cândido - O navio que não navega

De fantasmas, piratas e pernas de pau...

Carlos Pimentel Mendes *

O imenso mar-oceano está povoado de histórias, desde o fantasma conhecido como Holandês Voador até as fabulosas histórias de piratas, corsários e bucaneiros, passando ainda pelo Triângulo das Bermudas onde se diz que tudo some. Nessas histórias, os piratas estão remendados: uns com olho de vidro, outros com perna de pau.

No Brasil, parece que adoram misturar essas histórias todas, sempre contadas por gente com cara de pau e um olho enorme sobre o baú do Tesouro, piratas que fazem sumir dinheiro nas bermudas e em outras peças de vestuário, e deixam muitos esqueletos no armário, talvez de fantasmas voadores...

Temos assim o cândido relato sobre um navio de nome João e sobrenome Felisberto, teoricamente uma homenagem ao líder da Revolta da Chibata. O mirrado marinheiro que entrou para a história (em 1910) virou (em maio de 2010) um superpetroleiro, produzido pelo Estaleiro Atlântico Sul, símbolo do renascimento da indústria naval brasileira após 14 anos de estagnação, dentro do altissonante Programa de Modernização e expansão de Frota da Transpetro, que compreende mais 21 navios.

Navio petroleiro João Cândido

Pois este orgulho de nosso governo, com 274 metros de comprimento e capacidade para transportar até um milhão de barris de petróleo, foi lançado ao mar no porto pernambucano de Suape. A sorte é que as comemorações não duraram muito, senão este embrulho de R$ 336 milhões (cerca de duas vezes o valor da mesma construção no mercado internacional) teria naufragado no meio da festa: seu belo casco escondia tubulações que não se encaixavam, soldas com defeito e um belo rombo. No casco... e no orçamento.

Como disse Augusto Nunes em seu blogue, o Brasil é fantástico: depois do trem-bala invisível, inventou o navio que não navega (para não falarmos da fantástica cachoeira de bichos, tema do dia em Brasília). Mas, comemoremos: após as provas de mar, o (Marinheiro) João Candido Felisberto deve ser entregue enfim no dia 25 de maio (de 2012). Agora, esperemos que o segundo navio da empresa, o (já atrasado) Zumbi dos Palmares, queira mesmo homenagear o líder dos escravos e não o famoso personagem das histórias de terror...

*Carlos Pimentel Mendes é jornalista e edita o site Novo Milênio (www.novomilenio.inf.br)

Fonte: Portogente, João Cândido.

7 comentários:

  1. O Brasil esta tentando reconstruir sua industria naval, destroçada nas ultimas decadas, mas sempre tem um entreguista para criticar.

    ResponderExcluir
  2. O contraditório é importante. Por isso, além de publicar matérias governamentais sobre o NT João Cândido, inclusive as de caráter ufanista (Brasil: Ame-o ou Deixe-o?),creio ser importante abrir espaço àqueles que têm uma visão crítica sobre o assunto, até para evitar que o blog vire uma mídia social "placa branca". Esse espaço está à tua disposição para manifestação escrita, onde terás a oportunidade de mostrar porque críticas ao processo de reativação da construção naval são indesejáveis e, necessariamente, "entreguistas" ("impatrióticas"). Afinal, houve ou não falhas técnicas - tubulações mal dimensionadas, soldas defeituosas e rombos no casco? Essa é a questão.

    ResponderExcluir
  3. Você está certo em publicar. A crítica foi ao autor do texto.
    Sim, há erros. Inevitáveis para quem está tentando reaprender a construir navios. Até em navios coreanos, que constroem há décadas, há erros grosseiros, como vimos recentemente no barco da Vale que rachou.
    E reaprender tem seu preço. Só que são 336 milhões que ficaram em grande parte no Brasil, no comércio e indústria brasileiras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alem do comércio e indústria, não esqueça das "comissões", e se fossem só 336 milhões seria muito barato, o navio custou quase meio BILHÃO de reais...

      De qualquer forma, a Transpetro já cancelou a compra dos navios restantes...

      Excluir
  4. Estou falando daqui do futuro, *ano 2014*. O mês é abril, e estourou a notícia da compra da Refinaria de Pasadena nos EUA, que no preço de mercado valeria 47 mi dólares, e foi comprada pela PTrobrás por 1,315 bi. A briga tá feia entre oposição e governo. O problema é que a Sra Dilma assinou a autorização da compra da refinaria e a oposição quer CPI, e o governo quer CPI (aonde eu queria chegar): do Porto de SUAPE. Navios sendo lançados e políticos metendo a mão. E o nosso BRASIL, que se foda. Isso que eles pensam.

    ResponderExcluir
  5. http://www.informe.me/politica/navio-joao-candido/

    ResponderExcluir
  6. Prezado Senhor, encaminho notícias atualizadas sobre o navio petroleiro em comento: Um ano de operação do navio João Cândido Com 274 metros de comprimento e capacidade para transportar mais de 1 milhão de barris, petroleiro fez sua primeira viagem partindo do Porto de Suape em direção à Bacia de Campos. Rochelli Dantas - Diario de PernambucoPublicação: 25/05/2013 12:00Atualização: 26/05/2013 08:05
    Link para o texto integral da notícia: http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/economia/2013/05/25/internas_economia,441280/um-ano-de-operacao-do-navio-joao-candido.shtml

    ResponderExcluir