Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Rio Jacuí - Estiagem também afeta a geração de energia elétrica no RS

Sistema Jacuí reduz geração
Medida atinge usinas de Passo Real e Itaúba

Baixo nível do Jacuí, devido à estiagem, afeta produção  
nas hidrelétricas. Crédito: Renoir Sampaio/O Jornal/CP

A queda no nível da água no rio Jacuí, devido à estiagem, afetou a produção de energia nas hidrelétricas do Sistema Jacuí. As operações em duas das maiores geradoras do complexo - nas usinas de Passo Real, no município de Salto do Jacuí, e de Itaúba, em Pinhal Grande - acontecem apenas nos horários de ponta, nos finais de tarde e início da noite. Conforme dados da Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica (CEEE-GT), o volume das águas nas barragens é inferior ao verificado na estiagem de 2007 e 2008, uma das piores nas últimas décadas.  


O nível do reservatório da Hidrelétrica de Passo Real, considerado o maior lago artificial do Estado, está 11,64 metros abaixo da cota. Conforme dados da CEEE-GT, o sistema encontra-se com 38,54% do volume de água útil. Na barragem Maia Filho, responsável pela geração na Usina Leonel de Moura Brizola (ex-Hidrelétrica do Jacuí), o nível encontra-se 7,71 metros aquém da cota. A produção energética no empreendimento está minimizada. 


A compensação na queda na produção no Complexo no Jacuí para atender à demanda gaúcha ocorre por meio do Sistema Interligado Nacional. A CEEE-GT monitora o nível da água no montante das barragens, a fim de manter a vazão sanitária, suficiente para evitar problemas com a fauna e flora ao longo do leito do rio e dos lagos. A geração de energia das quatro maiores usinas do Sistema Jacuí representa 17% da potência instalada em operação no Rio Grande do Sul. Somam 955 megawatts (MW), enquanto toda a potência existente no Estado atinge 5.585 MW, conforme Balanço Energético de 2011. A maior delas é Itaúba (potência de 500 MW), seguida de Leonel de Moura Brizola (180 MW), Passo Real (150 MW) e Dona Francisca (125 MW). 

Fonte: Correio do Povo, Cidades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário