Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Naufrágio - Lancha da Marinha está desaparecida na Lagoa dos Patos

A lancha Lambari (LAEP 7), da Capitania dos Portos do Rio Grande do Sul, está desaparecida no fundo da Lagoa dos Patos desde a noite do último dia 31. A embarcação, de sete metros de comprimento, saiu de Rio Grande com destino a Porto Alegre, na manhã do dia 31, rebocada pelo navio-patrulha Babitonga pela Lagoa dos Patos. E por volta das 21h30min, afundou na lagoa, nas proximidades do Farolete de Bujuru. Segundo o Comando do 5º Distrito Naval, em virtude da mudança repentina das condições ambientais, com vento sudoeste de 16 nós (28,8 km/h) e águas da lagoa agitadas, a lancha emborcou e rapidamente afundou.

Embarcação LAEP 7 foi perdida enquanto era levada para Porto Alegre

O Comando do 5º DN diz que não houve vítimas, nem danos ambientais e tampouco prejuízos à navegação no local. Conforme o capitão dos Portos, Nilson Seixas dos Santos, a embarcação saiu com uma tripulação de segurança, mas rebocada, pois é pequena e não tinha condições de fazer uma viagem longa sozinha. Por volta das 17h, para evitar riscos devido às condições climáticas, toda a tripulação passou para o Babitonga.

Carta Náutica 2140 - Lagoa dos Patos - Ponta do Bujuru

Um procedimento administrativo foi aberto para apurar o incidente. As buscas foram iniciadas na manhã do dia seguinte ao naufrágio e realizadas por cinco dias consecutivos, mas sem êxito, e por isso foram interrompidas. A Marinha mandou buscar, no Rio de Janeiro, um equipamento (side scan) que permite verificação no fundo da lagoa, para tentar localizar a embarcação. O aparelho chegou na manhã de ontem em Rio Grande. "A Marinha do Brasil está realizando todos os esforços a fim de localizar e reflutuar a embarcação, empregando equipamentos apropriados para buscas submarinas e profissionais vindos do Rio de Janeiro, que já estão na cidade para reinício das buscas em 14 de junho", informou o Comando do 5º DN.

Side Scan - Desenho mostra como funciona o sonar

De acordo com a Capitania, a lancha saiu do Rio Grande com apenas 20 litros de óleo para que, caso o reboque rebentasse e a Lambari ficasse à deriva, a tripulação pudesse colocá-la em funcionamento e aproximar-se do navio-patrulha para refazer o reboque. O motor tem óleo e lubrificante, mas estava lacrado, segundo as informações. A Marinha informou que foram colocadas bóias de contenção na área de buscas e que não teria havido vazamento de óleo.

A Lambari pertence à sede da Capitania dos Portos, localizada em Rio Grande, e estava sendo enviada para a Delegacia da Capitania dos Portos em Porto Alegre, para ser usada nos trabalhos de fiscalização. Santos ressalta que a embarcação é baixa (tem aproximadamente 2,5 metros de altura) e na suposta área do naufrágio tem lama, por isso ela não ofereceria risco à navegação. Conforme ele, a Estação Naval do Rio Grande tem condições de fazer o salvamento da embarcação, mas caso não consiga, uma empresa de salvatagem pode ser contratada para fazer o serviço.

Fonte: Jornal Agora, Rio Grande. LAEP 7

5 comentários:

  1. A Marinha, como sempre fazendo suas patuscadas. Parece que alem de atrapalhar a vida de quem navega, também se atrapalham entre eles.

    ResponderExcluir
  2. Curioso uma lancha deste porte com esse vento de 16 nós emborcar na lagoa. Teria alguma relação por estar sendo rebocada?

    ResponderExcluir
  3. Ah, se isso acontecesse com um amador... Coitado!!! Seria questionado acerca de suas qualificações, de sua experiência, por que não avaliou satisfatoriamente as condições meteorológicas antes da partida, etc, etc... A ironia é ocorrer o incidente com quem costuma fazer a cobrança... "Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço..."

    ResponderExcluir
  4. É que de vez em quando alguém tem que ir até a popa pra ver se tudo está em ordem ...

    ResponderExcluir
  5. Uma lancha sendo rebocada por um navio e sem ninguém no timão da lancha???
    Só pode ser piada mesmo, era óbvio que mais tempo menos tempo ela capotaria. Deve ter afundado antes do horário publicado e somente perceberam tarde demais. São muito amadores, irresponsáveis com o patrimônio público.

    ResponderExcluir