Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Rio dos Sinos - Controle ambiental atingirá 14 novos pontos

O monitoramento do Rio dos Sinos, com auxílio de barco e sondas, ocorrerá entre os municípios de Campo Bom e Canoas.

Marcada abertura de licitação para contratar a empresa que 
responderá pelos dados técnicos. Foto: Stephany Sander/Especial/CP

A partir de julho, o Rio dos Sinos terá 14 novos pontos de monitoramento. O reforço na fiscalização do manancial ocorrerá na extensão entre Campo Bom e a sua foz, em Canoas, conforme explica o diretor executivo do Consórcio Público de Saneamento Básico da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos - Pró-Sinos, Júlio Dorneles.

Hoje, existem dois locais de fiscalização em São Leopoldo, um em frente ao Clube Humaitá e outro no ponto de captação do Serviço Municipal de Água e Esgotos. "São pontos de leitura permanentes, mas que não atuam todos dos dias. Queremos fiscalizar com precisão os 60 quilômetros do rio nesta extensão. Precisamos ampliar esse processo", afirma Dorneles. Os novos trechos serão controlados semanalmente de barco e contarão com o auxílio de sondas móveis, que farão as leituras diariamente.

Existe ainda a possibilidade de que seja colocado um aparelho fixo no ponto do Clube Humaitá, passando a operar 24 horas por dia. "Este novo equipamento faria a leitura das condições do rio, como nível da água, pH, oxigenação, condutividade elétrica e até temperatura, por meio de sensores de telemetria", destaca. Os dados serão enviados por SMS para a Central de Monitoramento do Consórcio.

Na próxima sexta-feira, deverá ser aberta licitação, por pregão eletrônico, da Secretaria de Compras de São Leopoldo, para contratação de empresa. Segundo o prefeito de São Leopoldo e presidente do Pró-Sinos, Ary Vanazzi, é necessário designar responsáveis pelos boletins e dados técnicos do Sinos. "Hoje, quem faz esse serviço é o Instituto Martin Pescador. No entanto, a entidade é voltada para a educação ambiental, não para a fiscalização", explica. O valor do serviço será de R$ 50 mil, podendo sofrer alteração, e o contrato poderá ser renovado. Para 2013, o Pró-Sinos pretende buscar recursos com a Fundação Estadual de Proteção Ambiental e o Fundo Estadual de Recursos Hídricos para monitorar mais 50 pontos. Para esta segunda etapa, o investimento seria de R$ 3 milhões.

Em Novo Hamburgo, conforme o diretor da Comusa - Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo, Mozar Dietrich, o Sinos já é monitorado semanalmente há 15 anos. No entanto, por falta de equipamentos e pessoas habilitadas, a fiscalização ocorre semanalmente, quando o ideal seria a análise diária. A prefeitura realiza fiscalizações e análises da água do rio e dos arroios. Desde dezembro de 2011, uma sonda multiparâmetros, doada pela Universidade Feevale, auxilia no trabalho. A sonda mede instantaneamente 12 trechos, marcando quantidade de oxigênio, condutividade, resistividade, temperatura, amônia, nitrato e sólidos dissolvidos de cada um deles.

Em Campo Bom, uma parceria foi firmada entre a Secretaria de Meio Ambienta e o curso de Engenharia Ambiental da Unisinos. Semanalmente, uma equipe formada por alunos e profissionais irá percorrer, de barco, o trecho do Sinos que passa pelo município. Segundo a secretária de Meio Ambiente de Campo Bom, Gisela de Souza, serão analisados itens como a coloração e o nível de oxigenação da água.

Fonte: Correio do Povo, Cidades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário