Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

domingo, 26 de agosto de 2012

Estatística Portuária/Porto de Porto Alegre: Jan-Jul/2012

Porto da Capital movimentou 751 mil toneladas (Jan-Jul)

Neste ano, de janeiro a julho, o porto fluvial da Capital movimentou 751 mil toneladas, o que representa um acréscimo de 34,27% em relação ao ano de 2011, cerca de 190 mil toneladas a mais do que foi movimentado no ano passado, quando a movimentação foi de apenas 559 mil toneladas no mesmo período.

Desde o início de 2012, a SPH encontra-se sob nova direção, pois o governador Tarso Genro exonerou os dirigentes anteriores - Vanderlan Vasconselos (Diretor-Superintendente) e Silvio David (Diretor de Portos), que exerceram a direção da SPH em 2011, substituindo-os por Pedro Obelar e Paulo Argeu Fernandes, respectivamente.

A intervenção da fiscalização da Superintendência Regional do Trabalho (SRTE) no final de 2011, que interditou os guindastes do porto devido à total falta de segurança, em consequência do sucateamento dos mesmos, foi fundamental para a obtenção desse resultado, pois exigiu a recuperação dos equipamentos, trabalho realizado pela atual gestão.

A mudança na direção da SPH, feita no início deste ano, também surtiu efeitos positivos no setor de hidrovias, especialmente quanto à sinalização náutica, que apresentava em 2011 o pior desempenho do Brasil em termos de índice de eficácia, conforme relatórios da Marinha do Brasil.

PORTO DE PORTO ALEGRE
MOVIMENTAÇÃO JAN-JUL/2012



Fonte: Superintendência de Portos e Hidrovias, Estatísticas Portuárias.

2 comentários:

  1. Grande Hermes, eu não consigo entender como é que este porto é só importador. Porque será que os navios que aqui vem descarregar fertilizantes não levam graos para Rio Grande?
    abraço
    Zilton

    ResponderExcluir
  2. É importador de final de linha, onde os velhos navios utilizados no transporte de fertilizantes fazem a limpeza dos porões, descarregando cerca de dez por cento de carga (carga residual). São navios de cabotagem e de longo curso, com capacidade de até 80 mil toneladas de carga, mas trazem somente até 10 mil toneladas (carga remanescente). Nem poderia ser de outra forma, pois em plena carga demandariam calados de até 12 metros (o calado de hidrovias interiores, por óbvio, no máximo vai até a metade disso). No entanto, outras cargas a granel (grãos, por exemplo) são transportadas até Rio Grande, mas isso é feito por navios e barcaças da navegação interior, que operam a plena carga, sem ociosidade, e são responsáveis por oitenta por cento da movimentação nas hidrovias interiores. Abraços, Zilton.

    ResponderExcluir